Editorial | ONAS-Covid19 | 21.06.2020 | Um balanço do ONAS em 3 meses de iniciativa

Em meados de março, quando as atividades presenciais da UFRN foram suspensas como parte das estratégias de combate ao avanço do novo coronavírus, iniciamos o projeto de tentar escrever sobre nosso campo de estudo (a demografia) dentro do contexto da pandemia. Iniciamos escrevendo textos para outros meios de divulgação como forma de contribuir com a disseminação de informações baseadas em evidências empíricas, mas também com uma preocupação de ser redigido em uma linguagem comunicativa para público amplo.

O desafio de escrever textos de análise com bases científicas sem entrar nos pormenores conceituais e explicitar os rigores acadêmicos é grande. Afinal, o texto precisa ser claro o suficiente, sem demandar conhecimentos e leituras prévias do leitor leigo e, por fim, sem deixar de lado o princípio científico de rigor metodológico e teórico. Em tempo, todos estamos aprendendo com isso. Talvez todos estejamos aprendendo algo novo nesse contexto de distanciamento social.

Desde que iniciamos o projeto do “Observatório do Nordeste para Análise Sociodemográfica” (ONAS), há três meses atrás, fizemos reuniões virtuais para alinhamentos e divisão de “tarefas”. Assim, uma coisa que o grupo de pesquisadores envolvidos no projeto foram unânimes: esse projeto que nasceu para discutir os aspectos demográficos relacionados ao contexto da Covid-19 deve se manter para além desse momento. Parece que não só estamos desenvolvendo uma frente de nossa atuação acadêmica, mas também tomamos gosto pelo formato. Claro, não deixamos de cumprir as outras frentes de trabalho tradicionais na carreira acadêmica.

O ONAS já teve até agora cerca de 30 mil visitas ao site, com visualizações vindas de outros países como Estados Unidos, França, Espanha, Portugal e Reino Unido. Não parece muito, mas esses cinco países representam 4% das nossas visualizações. Fato que nos deixa satisfeitos com a repercussão, uma vez que escrevemos em língua portuguesa, pois nosso objetivo é repercutir informação com caráter mais regionalizado. Ou seja, procuramos concentrar esforços que analisam aspectos sociodemográficos da região Nordeste.

Foram cerca de 100 publicações nesses últimos 90 dias. Em 83 vezes tivemos ajuda na repercussão dos nossos trabalhos pelos meios de comunicação da região. O nosso clipping de notícias contém os links de cada uma dessas menções, mas pode haver mais reproduções que não tenhamos conseguido mapear. O trabalho envolve a participação de todos os discentes e docentes do Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN direta ou indiretamente. Mesmo aqueles que tiveram menor contribuição direta na redação de alguma das análises, contribuem com a repercussão e divulgação da publicações em redes sociais e outros meios.

Em relação à origem das nossas visitas, nossa principal fonte de cliques é o Facebook, seguidos pelos sites de busca (majoritariamente o Google) e o Twitter. Essas três formas de se chegar ao nosso site corresponde a 30% dos cliques totais. Parte integrante do nosso esforço de divulgação científica, e não apenas escrever as análises nesse formato, é ampliar os meios de visualização. Assim, alimentamos contas de diversas redes sociais.

Facebook
Twitter
Instagram
LinkeIn
Youtube

Infelizmente, a pandemia ainda parece estar longe de arrefecer seus impactos no Brasil. Um país com desigualdades sociais e territoriais tão relevantes mostra uma diversidade de situações que merecem atenção no enfrentamento da pandemia da Covid-19. Atingimos essa semana a marca triste de mais de 50 mil mortes confirmadas pela Covid-19. Somando-se à grande subnotificação que temos no país, é aterrador imaginarmos que ainda haja quem minimize os efeitos dessa doença. Esperamos que ainda haja tempo para mudar a rota do enfrentamento e alinhar as ações políticas para essa direção, caso contrário, os impactos serão ampliados por mais tempo ainda. Tanto em vidas perdidas (que não podemos recuperar), como em desenvolvimento social e econômico (que até podemos recuperar, mas será cada vez mais difícil se não enfrentarmos a doença de modo adequado).

Editorial | 21.06.2020 | Ricardo Ojima | Coordenador do ONAS-Covid19 | Programa de Pós-Graduação em Demografia | Universidade Federal do Rio Grande do Norte | Um balanço do ONAS em 3 meses de iniciativa

Confira essa e outras análises demográficas também no ONAS-Covid19 [Observatório do Nordeste para Análise Sociodemográfica da Covid-19] https://demografiaufrn.net/onas-covid19

Um comentário sobre “Editorial | ONAS-Covid19 | 21.06.2020 | Um balanço do ONAS em 3 meses de iniciativa

  1. Parabéns a toda a equipe do ONAS Covid-19 e ao PPGDEM/UFRN! Os artigos publicados são de grande importância para que a sociedade possa estar bem informada nesse atual momento histórico.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s